Noite Europeia dos Investigadores 2017

Uma solução para reduzir a utilização de plástico e substituir o papel e cartão de uso único, recorrendo à valorização dos resíduos decorrentes de limpezas de taludes e terrenos nos Açores, foi apresentada sexta-feira, dia 29 de Setembro de 2017, no edifício da ExpoLab na Lagoa (ilha de São Miguel), integrado no evento da Noite EUROPEIA dos Investigadores.

Numa palestra interactiva, foi transmitido como uma das piores plantas invasoras – nos Açores e noutros locais do planeta – foi transformada em copos, pratos, bases protectoras, embalagens, papel e objetos flutuantes. Foi também possível ver e tocar nas fibras extraídas dos caules que podem ser usadas na área têxtil, modelar a pasta obtida por trituração de caule e folhas e verificar o uso dos objectos construídos com estes materiais na alimentação, desde a clássica utilização das folhas verdes para embrulhar o queijo fresco até ao seu uso para pratos de piquenique ou aniversário.

Os pratos podem misturar-se à terra do quintal pois são 100% biológicos e 100% biodegradáveis, fazendo regressar à terra os nutrientes minerais, diminuindo o uso de matérias-primas como a pasta de papel e contribuindo para reduzir o problema à escala global da acumulação do plástico e do microplástico quer na cadeia alimentar quer na água canalizada.

Maria João Trota, Helena Vasconcelos e Maria Gabriela Meirelles, docentes/investigadoras da Universidade dos Açores, bem como a  Agência 1001 Serviços, constituíram a equipa do IGA (innovation green azores – valorização da CONTEIRA) que coordenou a referida apresentação, intitulada “Materiais com Fibra”.